Padresitos em qualquer lugar

A cultura de rua é aberta, pública, de todos para todos. É a cultura da ocupação dos espaços, da apropriação da cidade. É também a cultura do respeito e, acima de tudo, da resistência. 

O marco inicial desse projeto deu-se a criação do "Padresitos Em Qualquer Lugar", pois vivemos em um mundo que enfrenta um processo repressivo intenso na esfera do que é público. A rua é tida como um espaço, cada vez mais, do não-pertencimento, de passagem, dos desencontros. A rua é pública demais e o que é público, você pensa, não é seu, não é de ninguém, mas queremos revelar que a música é, de todos para todos, e mostrar nosso trabalho, quem somos, de onde viemos, para onde vamos. 



A cena do rock se funde de várias formas, a música muitas vezes fala das experiências na cidade, questões políticas, sociais, um grito daquele que muitas vezes não é ouvido. Achado um bom lugar para se plantar um show, munidos de nossos instrumentos, é só regar de música boa, coletividade, deixar transbordando nos espaços, ecoando. De eco em eco, o rock vai saindo dos braços (quase garras) sufocantes da elite, do ar, e empodera qualquer lugar.